Nota: A parceria wine4people/parceiros assenta numa estratégia de divulgação, admiração e defesa do que melhor se faz ao nível do vinho neste pais.

É sempre um prazer e uma satisfação fazer uma prova de vinhos da Quinta da Pellada. Um produtor sempre com um nível de qualidade alto e constante. E ainda por cima, e por isso mesmo, sendo um nosso partner.
Eis os vinhos em Prova:

Carrocel e Carrocel Dourado 2012

É inevitável fazer uma comparação das duas versões. É a 3ª edição do Dourado, depois do 2010 e do 2011. Aroma floral rico, mais intenso no Carrocel Dourado, com a Touriga Nacional em todo o seu esplendor (lembrar que estes vinhos são monocasta). Na boca os taninos são finos em ambos; os vinhos são aveludados e, apesar de ainda não estarem no mercado (na altura da prova), estão perfeitamente já bebíveis. A grande diferença dos dois é o corpo. O Carrocel normal é mais fino e elegante. O Dourado é mais potente e encorpado. O final (em ambos) é prolongado, com uma acidez ainda um pouco excessiva, mas que fará com que os vinhos perdurarem muitos e muitos anos.
Preço: Carrocel: 53 euros
Carrocel Dourado: 65 euros

  • 18 Valores (ambos)

Quinta da Pellada 2012

Um aroma floral muito intenso. Na boca é fino, muito fino, corpo médio, e final prolongado. Está um Pellada com um perfil diferente do dos 2 anos anteriores. Mais borgonhês. Elegância pura. Muito bem!
Preço: 30 euros

  • 17,5 Valores

Quinta da Pellada Jaen 2014

Apenas 661 garrafas, da casta preferida dos javalis.( Sabiam que os javalis quando atacam a vinha da Pellada, vão sempre ao Jaen?)
Aroma intenso, rico e floral (característico da casa!). Na boca é muito saboroso e agradável, e, apesar de ligeiramente “verde”, tem um final já muito agradável.
Preço: 40 euros

  • 17,5 Valores

Quinta da Pellada 2010 UKR

Uma edição limitada a 500 garrafas, proveniente de uma parcela da vinha do Carrocel. Um vinho feito de maneira diferente (é o que diz no rótulo). Aroma frutado, com a casta um pouco escondida. Na boca é intenso, pujante, talvez demasiado. Acaba por ser um vinho muito encorpado e pouco elegante. Mas é um perfil que muita gente gosta. Este, em termos de consumo, está no ponto, mas ainda vai durar muito em garrafa…
O nome do vinho tem a ver com um certo indivíduo (enólogo) que foi trabalhar para a Pellada pouco tempo antes, e que por ser pau para toda a obra, tinha a alcunha de “o ucraniano”. A maior quantidade destas garrafas foi vendida para um restaurante no Algarve, sendo que o produtor apenas possui agora algumas Magnum’s. Pelo que, não será fácil de encontrar.
Preço: 40 euros

  • 17 Valores

P.F. (DEZ 2016)

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *